Você já foi em algum shopping na sua vida? Já ouviu falar do Shopping Paulista? Acredito que sim (pelo menos para uma dessas duas perguntas). Sabia que você pode ser sócio do shopping que você frequenta? O melhor de tudo é que você poderia ser investindo apenas 100 reais. Parece que é brincadeira, mas é verdade, confira as formas de investimentos imobiliários.

Investimentos Imobiliários

Como investir no mercado imobiliário?

Basicamente, existem duas maneiras de investimentos imobiliários:

Uma das formas é você escolher um imóvel em uma ótima região e compra-lo. Para isso, você precisa obter um grande capital de investimento. Se você não possuir essa condição, não se preocupe, pois saiba que você pode investir de outra maneira, pelo fundo imobiliário.

O Fundo imobiliário,  é uma forma inteligente para um investidor adentrar nesse mercado tão promissor e rentável, que é o imobiliário.

Nessa opção, ao invés do investidor tomar a decisão de que imóvel vai comprar, ele se junta a outros investidores e, juntos, compram, não apenas uma unidade, mas o empreendimento por inteiro, a cada um cabendo uma cota em função do seu investimento. Assim, embora o investimento total seja muito alto, o negócio se viabiliza porque o empreendimento é dividido em cotas.

Dessa forma, ao invés de estar exposto a um único imóvel, o investidor dilui o seu risco, diminui a oscilação, o receio de acontecer algum problema. Se você tem um imóvel (investimento), imagina se não houver ninguém morando nele, você terá um prejuízo. Quando você tem cem, mil inquilinos você já não tem mais essa preocupação, pois se algumas pessoas não tiverem alugando, você tem outras. Então, o fundo imobiliário é também, uma forma inteligente de se investir nesse mercado.

Investimentos Imobiliários

+ 3 opções para investir no setor imobiliário

Rendimento do Fundo imobiliário

Alguns detalhes diferenciam a compra direta de um imóvel em relação ao fundo imobiliário.

Ao se investir no fundo imobiliário, o investidor recebe também um aluguel, que no fundo imobiliário é chamado de rendimentos, que, neste caso, são isentos ao imposto de renda para pessoas físicas. Já, investindo em um imóvel, há obrigatoriedade de se pagar o imposto de renda.

Três pontos sobre investimento:

  • Rentabilidade: quanto o investimento vai te dar de lucro no mês, no ano, enfim.

A rentabilidade, no fundo imobiliário, possui, praticamente, as mesmas características de que quando você compra o um imóvel.

Quando você investe em um imóvel, você espera pela valorização. Obviamente, isso nem sempre acontece, pois existe a chance de você comprar e perder valor (embora esse risco seja pequeno, hoje). Ainda, há o rendimento pelo aluguel.

No fundo de investimentos imobiliários, a ideia é a mesma. Se o empreendimento se valorizar, se ganha mais e a rentabilidade é proporcional às cotas de cada um. Se desvalorizar, as perdas também são diluídas entre todos. É o mesmo conceito.

Assim, quando você tem imóvel, você recebe um aluguel. No caso do fundo imobiliário, você também tem um aluguel, só que proporcional a quantidade de cotas dentro do fundo.

Lembrando que, no caso dos fundos de investimentos, não se paga Imposto de Renda. Vale ressaltar que a isenção só é válida pelo aluguel. No caso de valorização das cotas, em uma venda futura, é necessário pagar o Imposto de Renda referente ao valor da valorização das cotas.

 

  • Risco: volatilidade do mercado.

Mercados aquecidos, bairro em desenvolvimento etc, trazem aumento no valor dos imóveis e dos aluguéis, em ambos casos. O inverso também é verdadeiro. A grande vantagem do fundo imobiliário, aqui, é que se pode investir em cotas em diferentes imóveis, localizações etc, diluindo, assim, os riscos.

 

  • Liquidez: capacidade de se fazer dinheiro rápido com patrimônio ou investimento.

Um dos grandes benefícios das cotas em relação à compra de imóveis é que, até pelo valor, são mais fáceis de serem comercializadas.  Quando se necessita “fazer” dinheiro, coloca-se a parte que se quer vender na bolsa e, assim que vendido, o dinheiro já estará na conta do investidor em 3 dias. Obviamente, é muito mais rápido do que conseguir isso com um imóvel, por exemplo.

 

Investimentos Imobiliários

+ Por que investir em imóveis?

Quanto é preciso para investir?

Se você quer fazer investimentos imobiliários, não precisa investir milhões, você pode investir 100 reais em cotas de fundo imobiliário (Exemplo). Pois eles são vendidos em bolsas de valores, como se fosse uma ação. Imagine que você tem 100 mil reais investidos em um fundo imobiliário.

Se você tiver 1% de rendimento de aluguel/mês você vai pegar o dinheiro e poder reinvestir em novas cotas e/ou recomprar no mesmo fundo imobiliário (o que não é possível quando se investe na compra de um imóvel).

Assim, você pode aproveitar a entrada de recursos de baixo valor para poder investir e, ao mesmo tempo, quando precisar de dinheiro, ter a facilidade de uma maior liquidez.

 

Cuidados

Quando for avaliar um investimento você deve tomar cuidado, pois você precisa conhecer onde o fundo imobiliário que você está planejando comprar, investe os recursos dele. Porque, quando você compra essas cotas, você terceiriza essa gestão, mas fica com os riscos, também. Ter um gestor qualificado para tomar a melhor decisão, é muito importante.

Bem, o fundo imobiliário é bom para quem quer ter uma renda mensal, mesmo tendo pouco dinheiro para investir, e, também, para quem necessita de liquidez, pois, precisando de uma parte, ou de todo o capital, é só vender na bolsa (e essa operação pode ser rápida).

Investimentos Imobiliários

O que são CRI e LCI

LCI (letras de crédito imobiliário) é um título de crédito nominativo, de livre negociação, lastreada por créditos imobiliários garantidos por hipoteca ou por alienação fiduciária, conferindo aos seus tomadores direito de crédito pelo valor nominal, juros e, se for o caso, atualização monetária nela estipulada.

A LCI é emitida pelo credor do crédito imobiliário e deve representar a totalidade do crédito. São lastreadas em créditos imobiliários de vários empreendimentos.

 

CRI (certificado de recebíveis imobiliários), é um título de crédito nominativo, de livre negociação, lastreado em créditos imobiliários e constitui promessa de pagamento em dinheiro. O CRI é de emissão exclusiva das Companhias Securitizadoras de Créditos Imobiliários e só pode ser emitido com uma única e exclusiva finalidade: aquisição de créditos imobiliários.

Então, veja o quanto pode investir, escolha a melhor modalidade, avalie os riscos, e venha fazer parte desse mercado tão consistente e promissor, que é o mercado imobiliário.